Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

É Natal... Foi Natal... Vem aí o ano Novo... la la la!

Tenho andado ausente do meu cantinho mas não foi propositadamente. Dizem que o Natal é uma época de muito trabalho e, este ano, tem-no sido para mim, sem dúvida nenhuma!!! Nem o meu rico template que começou a ser elaborado há imenso tempo, consegui colocar. Agora coloquei-o assim às três pancadas só para não dizer que não o metia... :/

 

As duas semanas que antecederam a semana do Natal foi de feitura e correcção de testes. A semana do Natal foi de reuniões e jantares de Natal, tendo eu sido intimada comparecido apenas ao da Pinguinolândia, embora sem vontadinha mesmo nenhuma. No fim foi muito engraçado mas como a minha disposição não era das melhores para festas pois o meu irmão andou muito mal com uma cólica renal que não passava nem à lei da bala, o riso andava guardado dentro do bolso!

 

Depois foram as compras de última hora, quer para a Ceia de Natal, quer uma ou outra prenda que faltava. Resumindo,foram semanas passadas entre testes, reuniões, compras, jantares e hospital. Dia de Natal cai para o lado...

 

O meu Natal foi passado em família. Na nossa mesa não faltou o bacalhau, desta vez no forno, o polvo e o borrego assado (que eu não aprecio nada e não como mas eles adoram e parece que estava óptimo). Não fiz nada  de especial de doces. Nem o ânimo, nem o tempo ajudaram à vontade e à imaginação. Fizeram-nos companhia um molotof, um pudim de leite condensado, o bolo Rei, as filhoses e os sonhos de abóbora.

 

Este ano tive uma presença especial no meu Presépio: Pimentinha, a Santa Imaculada (lol). sou muito devota desta santinha e ela de mim... :P Deixo aqui uma imagem para podermos rezar a esta querida santinha nas horas das aflições (O mais estranho é que a Santa é um... santo! Hummm...).

 

Arranjei-lhe uma casotinha um altarzinho ao lado da minha árvore se Natal que este ano foi decorada em tons de azul e dourado, com enfeites antigos. Alguns da minha infância ainda. Apenas comprei umas estrelas e uns chocolates para lhe pendurar. É que a dita cuja é grande e frondosa e se levar poucos enfeites, fica nua! Tá frio, né? 

  

  

   

Digam lá que alguns dos enfeites não são giros...? Não cheguei a tirar fotos à árvore recheada de prendas porque o Pai Natal passou por cá e num abrir e fechar de olhos, levou-as todas para distribuir. Disse que tinha muita coisa para fazer e não tinha tempo para fotos... humpf!

Só cá entre nós: o gajo depois passou por cá para descansar os pés e beber um copo de leite e biscoitos e eu tirei-lhe uma foto. Depois coloco aqui...

 

Recebi algumas prendinhas fixes e dei outras tantas. Fui contida nos gastos porque não há dinheiro para nada e para prendas caras? Nem pensar!

Mas a melhor prenda que ofereci foi um casaquinho ao meu Pimentinha... Take a look!

Digam lá que não ficou uma abelhinha supé gira?!E quentinha! Ahahahaha! Esta foi a prenda sensação da noite.

 

Tenho imensas coisas para partilhar convosco mas o tempo é tão curto...! Vamos ver se consigo postar com mais frequência  nos próximos tempos. Ah, e o template... é só mesmo temporário! :)))

 

 

 

System Overload

  

 

 

Preparei meticulosamente umas perninhas de frango no forno para o jantar. Tinha estado na conversa com a minha amiga C., a trocar ideias de como confeccionar as ditas e tanto as ideias como as papilas gustativas estavam aos saltos só de pensar no repasto.

 

Depois de muito bem temperadinhas, foram dar uma voltinha até ao forno. Enquanto o jantar se ultimava, aproveitámos para dar banhoca ao Pimentinha que tinha o pêlo cheio de pó e com um cheiro meio esquisito.

Começam as perninhas de frango a exalar o cheiro típico de algo que está a ser assado no forno. E foi aí que tudo começou.

 

De tarde, eu tinha sentido uma má-disposição que acalmou um pouco após um chá de cidreira. Mas quando chegou a hora de tirar as pernas de frango do forno e ir degustá-las, eis que se me dá um nó no estômago e uma sensação de náusea semi-presente.

 

Vi logo que, com muita pena minha, aquele não seria o meu jantar. Aquelas pernocas gordinhas e bem temperadinhas e que me tinham dado tanta água na boca. Comecei a arrancar pedacinhos de pão e a comê-los para me esquecer da náusea e acalmar o estômago. Mas afinal que iria eu jantar? Tinha de ser algo sem cheiro, ou pelo menos que o meu olfacto não ficasse afectado. Optei por uma sopa de feijão verde que estava deliciosa.

 

Acabámos de jantar e fui arrumar a cozinha. Todos os cheiros me estavam a fazer mal. De tal forma, que nem sequer fiz um café para mim com receio de nem sequer o conseguir engolir.

Depois de lavar a loiça, com ou sem luvas, tenho o estúpido hábito de ir lavar as mãos à casa de banho. Pois até o cheiro do gel de lavar as mãos me afectou. Voltei a ir lavar as mãos, mas desta vez com o meu gel de banho de framboesa. Quando ando assim com estes sintomas, a fruta acaba por me aliviar de certa forma. E até o gel me aliviou.

 

Talvez até tenha explicação para isto: isto acontece-me quando estou naqueles dias especiais mensais ou quando o meu organismo me começa a mandar alertas de que eu já ultrapassei o limite aceitável de abusos. E desta vez eu acho que é isso mesmo. Os nervos têm-me levado a cometer grandes atrocidades que o meu estômago não suporta. Se eu já sou mais esquisita que eu sei lá o quê com os cheiros, agora imaginem quando o organismo está a fazer tilt, quando tem os red alerts todos a apitar….!!!

 

Bom, está provado e comprovado que não posso sair da linha. Não posso descarrilar senão o meu organismo zanga-se comigo e manda tudo de volta!

Lá vou eu voltar a ser uma menina bem comportada.